Casos de sucesso

Situação 1

A T. Nasceu com paralisia cerebral e ficou ate hoje internada ao cuidado do Hospital. Já Com seis anos, E desde 2014 a 2016 A CBEM disponibilizou duas voluntárias de ensino especial, que garantiram a sua ida à escola, fazendo toda a ponte e articulação entre a escola, a Crescerbem e o hospital. A T. Continua a sua escolaridade independente da CBEM com a entidade escolar a responsabilizar-se pelos transportes.

Situação 2

O N. Veio de Angola com a sua mãe irreversivelmente cego devido a um tumor cerebral. Entre 2014 e 2015 a CBEM facilitou a integração da família em Portugal. Tomamos conta de toda a documentação com o SEF, da alimentação especial do N., oferecemos produtos de higiene fraldas e tudo o que foi necessário garantindo a dignidade necessária a um crescimento saudável. Integramos o N. com sucesso, numa escola com ensino especial para invisuais, e oferecemos o equipamento escolar incluindo uma Maquina de escrever em Braille. O N. Neste momento está com sucesso a frequentar o quarto ano, e a família autonomizou-se da Crescerbem.

Situação 3

O O. Veio da Guiné com um problema renal muito grave e a família não conseguiu organizar-se. Em 2014 a CBEM com uma equipe de 4 voluntárias, iniciou o seu apoio ao domicílio. Tomou conta da alimentação especial do O. ensinando a mãe a cozinhar de acordo com a sua patologia, melhorou a higiene da família e da casa, e empenhou-se diariamente na sua escolaridade articulando com a escola em todas as frentes. Participou em todas as reuniões de pais com os diretores de turma, e ofereceu explicações em casa. Durante os longos períodos de internamento a CBem deu explicações na enfermaria e ofereceu um computador com um pograma da Porto Editora ligado à escola, permitindo ao O. Transitar de ano mesmo com tantas ausências. O O. Foi transplantado de rim com sucesso e a família encontra-se feliz e autónoma.

Situação 4

O T. Aos 11 anos Viu o seu coração ser transplantado. Tinha muita pena de não ir à escola e pediu para ter aulas na enfermaria. A CBem articulou com a escola e em colaboração com os professores deu aulas no hospital durante todo o internamento que antecedeu a chegada do coração novo. Depois, já transplantado com sucesso, foi para casa onde continuaram as explicações com as voluntárias da CB e desta forma o T. Teve a enorme alegria de transitar e ano, e continuar com o mesmo grupo de amigos quando regressou às rotinas do dia-a-dia normal para qualquer criança da sua idade, em 2014 já no sexto ano de escolaridade.

Situação 5

O A. Nasceu com espinha bífida. Chegou aos 7 anos a sofrer de todas as complicações inerentes a essa situação. Não pode de todo em todo frequentar a escola. Tem muitas dores, infeções, é recorrentemente sujeito a internamentos, a intervenções cirúrgicas e a tratamentos complicados. A CB. segue semanalmente esta família monoparental cheia de dificuldades emocionais, e financeiras, focando-se em particular na situação cínica do A. .

Situação 6

O A. Quando nasceu viu-se sozinho com a mãe adolescente, sem avó e com um avô emigrado. O seu pai encontrava-se num estabelecimento prisional, e os avós paternos não se quiseram envolver. A Cbem ajudou a mãe a organizar-se como chefe de família, e conseguiu inscreve-lo na creche assim que teve idade. Tratou da escolaridade da sua mãe que acabou o 12º cheia de sucesso, e ajudou na integração no mercado de trabalho. Atualmente encontram-se os dois bem e independentes. O A. Está um rapazinho cheio de saúde, com três anos, e a mãe uma profissional de mão cheia.

Situação 7

O G. Esteve internado com uma infeção por falta de higiene em casa. Morava num “bairro de lata” com a mãe e um irmão de 16 anos invisual. A CBem tratou de toda a organização familiar com particular atenção à higiene e inserção do G. na rede escolar. Mais tarde conseguiu uma habitação digna para a família, num prédio de habitação social à responsabilidade da Câmara de Loures. Com a mãe a trabalhar e o G. Na escola a CBem retirou-se. A família encontra-se bem e autónoma.

Situação 8

O G. Chegou a Portugal para se tratar de hidrocefalia. A mãe, adolescente, pediu ajuda para viver neste país para si estrangeiro, onde se encontrava aflita e preocupada sem qualquer apoio de família ou amigos. A CBEM esteve sempre presente nas consultas, internamento e tratamentos como se de família se tratasse. O G. Foi para casa e a Cbem continuou a sua ajuda em tudo o que foi necessário. Quando chegou a altura regressou ao seu país de origem e encontra-se bem.

Situação 9

A L. Nasceu linda e cheia de saúde em Junho de 2014. A sua mãe tinha 14 anos e o sei pai 15. Foram recebidos em casa dos bisavôs maternos. A Cbem ajudou esta família a organizar-se com a chegada de um recém-nascido. Apoiou em roupa, fraldas artigos de higiene bebe, família e casa. Ajudou os pais a concluírem o 12 ano, pagou transportes, material escolar, e claro tratou da sua inserção na creche. O 12º ano de ambos foi concluído com sucesso. Vamos continuar juntos até os pais encontrarem um lugar no mercado de trabalho.

Situação 10

A mãe I. tinha uma filha quando recebeu um par de gémeos. O marido não gostou e foi-se embora. Um dos bebés nasceu muito doente, a I. constantemente a ir ao hospital com o seu bebe perdeu o emprego. Viu-se sozinha e pediu ajuda. A CBem em 2012 iniciou o seu apoio global em domicílio. Apoiou em bens alimentares, fraldas, medicamentos e transportes. Conseguiu inserir os bebes na escola e nessa altura ajudou a I. A voltar ao mercado de trabalho. Neste momento estão todos bem e autónomos.